Quinta-feira, 21 de Junho de 2007

Creme de 3,99 euros.... saga parece que termina aqui....será????

Porto: Tribunal do Bolhão absolve septuagenária acusada de furtar creme de 3,99 euros

21 de Junho de 2007, 17:13

Porto, 21 Jun (Lusa) - O Tribunal Criminal do Bolhão, Porto, absolveu hoje uma septuagenária acusada de furtar um creme de beleza no valor de 3,99 euros, considerando que "não foi produzida prova" comprovativa do alegado ilícito.

Já depois de a mulher ser levada a julgamento, o próprio supermercado denunciante, da cadeia Lidl, entregou ao tribunal um talão comprovativo de que afinal o creme teria sido pago.

O talão confirmava apenas o pagamento do creme quando a mulher fez, na altura, outras compras, nomeadamente uma garrafa de vinho.

O tribunal falou de uma "coincidência estranha", o defensor oficioso da septuagenária, Sousa da Silva, usou a mesma expressão, quando questionado pelos jornalistas, no final da audiência.

"Seria suposto que aparecesse um talão referente a todas as compras que a senhora fez, mas não apareceu. É estranho, mas quem junta esse talão é o Lidl", disse.

Sousa da Silva referiu que este processo, implicando um valor insignificante, chegou à barra judicial, "porque estamos num estado de Direito", embora admitisse incongruências num "sistema" que, para dirimir o pagamento de "um valor ridículo", tem de recorrer a uma máquina judicial cara.

Só o envolvimento do próprio Sousa da Silva neste processo - que o juiz classificou ironicamente de "mega-processo", antes da leitura da sentença - custou ao Estado um total de 264 euros, em despesas com a defesa oficiosa.

O alegado furto ocorreu quando a senhora, uma reformada de 76 anos, foi interceptada por um segurança do Lidl de Paranhos, Porto, depois de supostamente ter escondido debaixo da roupa o creme.

A reformada tem uma reforma de 563 euros e só de alojamento paga 125 euros mensais.

O supermercado formalizou a queixa, o processo criminal seguiu em frente, sendo a septuagenária acusada de furto simples, cuja pena poderia ir até os três anos de prisão ou uma multa.

Mais tarde, e segundo o advogado oficioso da arguida, Sousa da Silva, o juiz ordenou a entrega por parte do Lidl de meios de prova e o supermercado surpreendeu o tribunal, apresentando um talão comprovando que a senhora pagou o creme no dia dos factos, 18 de Outubro de 2005, às 11:54.

                                                                                                                                          Fonte: Lusa

 

sinto-me: mais aliviada!
publicado por palavrasnosilencio às 17:52

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 14 de Junho de 2007

Mas....Idosa afinal pagou creme de 3,99 euros



O caso da reformada de 76 anos que alegadamente roubou um creme de beleza de 3,99 euros no supermercado Lidl sofreu, ontem, uma reviravolta em tribunal, depois do Ministério Público ter pedido a sua absolvição. Segundo o advogado da arguida, o supermercado terá entregue ao tribunal um talão que prova que a idosa pagou o creme. A septuagenária era acusada de furto simples, cuja pena pode ir até aos três anos de prisão ou multa, depois de ter sido interceptada por um segurança do Lidl, pois teria escondido o creme debaixo da roupa. Depois do supermercado ter formalizado a queixa, e apesar do valor irrelevante do creme alegadamente roubado, o Ministério Público decidiu avançar com acusação num processo que custará centenas de euros ao Estado. Agora, e caso se confirme a absolvição da ré, uma vez que há a prova de pagamento do creme, a mulher poderá apresentar uma queixa contra o Lidl. O juiz vai agora analisar o processo e ditará a sentença no próximo dia 21.

      

                                                                         Fonte: Jn

sinto-me: indignada, confusa
publicado por palavrasnosilencio às 10:16

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 13 de Junho de 2007

Creme 3.99 euros.... a saga continua....



A mulher de 76 anos que alegadamente roubou um creme de beleza de 3,99 euros num supermercado em PAranhos, no Porto, sofreu hoje uma reviravolta em tribunal, com a procuradora do Ministério Público a pedir a sua absolvição.

Segundo o advogado oficioso da arguida, Sousa da Silva, o juiz ordenou na sessão anterior a entrega por parte do Lidl de meios de prova e o próprio supermercado entregou ao tribunal um talão que prova que a mulher pagou o creme naquele dia 18 de Outubro de 2005, às 11h54.

Perante estes dados, a procuradora do Ministério Público pediu a absolvição da ré e o mesmo solicitou o seu advogado. O juiz vai agora "analisar o processo" e ditará a sentença no próximo dia 21, pelas 15h30.

O julgamento desta septuagenária, natural de um concelho minhoto, teve início a 23 Maio nos Juízos Criminais do Porto. Apesar do valor irrelevante do creme de beleza alegadamente roubado (3,99 euros), o Ministério Público decidiu avançar com a acusação, num processo que custará centenas de euros ao Estado, sendo que só o advogado oficioso da arguida recebe 264 euros por cada sessão do julgamento

O alegado furto ocorreu quando a senhora foi interceptada por um segurança do Lidl de Paranhos, Porto, depois de supostamente ter escondido debaixo da roupa o creme. O supermercado formalizou a queixa, o processo criminal seguiu em frente, sendo a septuagenária acusada de furto simples, cuja pena pode ir até os três anos de prisão ou uma multa.

Na sessão de hoje, que voltou a acontecer à porta fechada pelo facto de decorrer no gabinete do juiz devido à falta de salas disponíveis para acolher este julgamento, era ainda suposto ter sido visionado um vídeo do supermercado, que provaria o alegado furto, um outro meio de prova solicitado pelo juiz.

Sousa da Silva referiu aos jornalistas que, "ao que parece, o vídeo não era muito importante para o Lidl, pois as imagens foram regravadas, não existindo para serem mostradas em tribunal". Na opinião do advogado oficioso, caso se confirme a absolvição da ré, uma vez que há uma prova de pagamento do dito creme de beleza, a mulher poderá apresentar uma queixa contra o Lidl. Contudo, "a senhora quer é paz e ir embora", sustentou o advogado.

Questionado como era possível o processo ter chegado até esta fase quando, na verdade, existe uma prova de compra, Sousa da Silva referiu que terá a ver com a fase de inquérito. "Tem a ver com muitos factores, que não posso comentar pois só acompanho este caso desde o início do julgamento", disse.

Ministério Público pede absolvição de idosa que alegadamente roubou creme de 3,99 euros.

 

                                                                                                                  Fonte: Agência Lusa

 

 

sinto-me: indignada!
publicado por palavrasnosilencio às 14:24

link do post | comentar | favorito

. Eu...

.pesquisar

 

.Dezembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Creme de 3,99 euros.... s...

. Mas....Idosa afinal pagou...

. Creme 3.99 euros.... a sa...

.arquivos

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds